COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

VIV’Á MONARQUIA!

425240_308345945970519_870597710_n

Muitos gritos de ordem se têm feito ouvir nos últimos tempos, mas aquele que realmente pode significar a Salvação Nacional só pode ser um: Viv’á Monarquia!
 
Já Platão, que acabou por chegar à conclusão que o melhor sistema de Governo era a Monarquia – o que curiosamente fez na sua obra “A República” –, advertia que “o preço a pagar pela tua não participação na política é seres governado por quem é inferior”.
 
Ora é o que tem acontecido, salvo honrosas – mas poucas – excepções, nos últimos 103 anos. De facto, nunca a máxima de “que a excepção confirma a regra”, teve mais cabimento, ou não fosse por isso excepção.
 
A regra é mesmo a do mau político, aquele que Eça de Queiroz descreveu, em 1867 in Distrito de Évora, como sendo suas características: “… vão a faustosas inaugurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver coisas. Não têm a austeridade, nem a concepção, nem o instinto político, nem a experiência que faz o Estadista. É assim que há muito tempo, em Portugal, são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e interesses, por especulação e corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a independência?”.
 
Pois há Homens que são talhados pela genialidade; e o pior, que, o sempre actual, Eça previra, aconteceu.
 
A essência da Democracia é de que ninguém é obrigado a concordar com nada e, portanto, é hora de defendermos com toda a veemência a Causa Monárquica.
 
Temos Voz; queremos que nos deixem fazê-la ouvir!
 
Queremos um debate esclarecedor, igual e democrático sobre esta questão; por isso tem de ser facilitado aos monárquicos o tempo de antena necessário para poder transmitir a sua mensagem, tal como fazem as outras entidades políticas. Nenhum partido republicano tem o monopólio da defesa da Democracia e da Legalidade, e, do Estado de Direito.
 
Queremos um Rei como Chefe de Estado! Entre o Rei e os Cidadãos da Nação existe uma afinidade nata, uma relação quase familiar, pois assenta nos princípios do próprio Direito Natural, portanto ninguém melhor do que um Monarca para defender os interesses do seu Povo junto das instâncias governativas.
 
Vamos fazer ouvir a voz dos Monárquicos na defesa do nosso amado País e na apologia do sistema de governo que achamos melhor para a nossa Nação!
 
Então, como é que é:
 
Viv’ó Rei!
 
Então, como é que é:
 
Viv’á Monarquia!

Sem comentários:

Enviar um comentário