MENSAGEM DE S.A.R. O SENHOR DOM DUARTE DE BRAGANÇA AOS PORTUGUESES

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

RELEMBRA-SE NESTA DATA A MORTE DE UM GRANDE PORTUGUÊS


Bom Dia ! Hoje é Dia de Todos-os-Santos , o Dia dos Antepassados , e um Dia de Esperança em que as Crianças de Portugal vão por esses Caminhos Alegremente pedir o Pão-Por-Deus ...

Mas também se relembra nesta data a morte de um Grande Português , o Santo Condestável Dom Nuno Álvares Pereira .

Recorde-mo-lo também , com Esperança , pois é Símbolo de Portugal Restaurado !

« A 1 de Novembro de 1431, morre no Convento do Carmo, em Lisboa, D. Nuno Álvares Pereira (1360-1431). Sabe-se que nasceu a 24 de Junho de 1360, em Cernache-do-Bonjardim ou Flôr-da-Rosa, filho ilegítimo de D. Álvaro Gonçalves Pereira, Prior do Hospital. Foi para a Corte aos 13 anos, sendo armado cavaleiro por Dona Leonor Teles com o arnês do Mestre-de-Avis, de quem se torna amigo. Adere à causa do Mestre, que o nomeia Fronteiro da comarca de Entre-Tejo-e-Odiana. Vencedor da Batalha dos Atoleiros (em 6 de Abril de 1384), de Aljubarrota (a 14 de Agosto de 1385) e de Valvêrde (a 15 de Outubro de 1385), D. Nuno Álvares Pereira desempenhou um papel fundamental na resolução da crise de 1383-1385 com Castela e na consolidação da Independência. Por isso foi, desde sempre, muito justamente considerado como um símbolo da Independência Nacional. Nomeado 2º Condestável-do-Reino e 38º Mordomo-Mor, recebeu ainda de D. João I, os títulos de 3º Conde de Ourém, de 7º Conde de Barcelos e de 2º Conde de Arraiolos. Em 1388 iniciou a edificação da capela de São Jorge-de-Aljubarrota e, em 1389, a do Convento do Carmo, em Lisboa, onde se instalaram os frades da Ordem do Carmo, no ano de 1397. Após a morte da sua esposa, Leonor de Alvim, com quem casara em 1376, torna-se Carmelita em 1423, recolhendo ao Convento do Carmo, em Lisboa, onde ingressa sob o nome de Irmão Nuno de Santa Maria. Ali permanece até à sua morte em 1 de Novembro de 1431, aos 71 anos de idade e já com a fama de Santo. D. Nuno Álvares Pereira foi beatificado em 23 de Janeiro de 1918 pelo Papa Bento XV e é desde 26 de Abril de 2009, mais um Santo Português, após a cerimónia de canonização em Roma, do Beato Nuno de Santa Maria. O anúncio fora feito pela Santa Sé, no final do Consistório de 21 de Fevereiro de 2009, presidido por Sua Santidade o Papa Bento XVI. D. Nuno Álvares Pereira (1932). »

2 comentários:

  1. Oh! quão maravilhoso é sabermos que, a escalada da fé, nos faz imaginar a Jerusalém celeste, onde antepassados desfrutam da glória celeste.
    Compartilho, com ufania.

    ResponderEliminar
  2. Oh! Quão abençoado é conceber que nossa fé nos faz confiar nas Promessas da Jerusalém celeste, onde pessoas de espirito elevado, como o Santo Condestável Dom Nuno Álvares Pereira, pela graça e Misericórdia Divina desfruta da glória eterna.

    ResponderEliminar