28.º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DO PORTO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

LINGUISTA BRASILEIRO ERNANI PIMENTEL, CONTRA O AO1990, POR UMA ORTOGRAFIA LÓGICA DA NOSSA LÍNGUA APRESENTA PROJECTO PARA SIMPLIFICAR O PORTUGUÊS

O linguista brasileiro Ernani Pimentel apresentou em Portugal um projecto para simplificar o idioma português, que conta com uma página na internet, na qual estudantes e professores podem fazer sugestões. 

A página Simplificando a Ortografia visa estabelecer o "diálogo" sobre o tema e de "abrir um ponto de debate para que representantes de todos os países de língua portuguesa possam emitir sua opinião", explicou Ernani Pimentel à Lusa.


O linguista, que é presidente do Centro de Estudos Linguísticos da Academia de Letras de Brasília, liderou o movimento "Acordar melhor", que resultou num livro em 2008, com críticas ao Novo Acordo Ortográfico, e conseguiu 23 mil assinaturas contra as novas regras.

O abaixo-assinado foi enviado à Comissão de Educação do Senado brasileiro e resultou no adiamento da obrigatoriedade do novo acordo no Brasil de Janeiro de 2013 para o mesmo mês de 2016.

"Agora partimos para o plano internacional, com o 'Simplificando a Ortografia'. Não nos interessa jogar pedras, mas buscar medidas conciliatórias e evolutivas. A nossa intenção é adequar o acordo antes que ele seja obrigatório", afirmou.

A reunião conjunta de sugestões ocorrerá até o fim do primeiro semestre de 2014, para que o documento possa ser apresentado em Setembro do mesmo ano, quando terá lugar um simpósio linguístico-ortográfico da língua portuguesa, em Brasília.

O linguista chegará a Portugal no dia 15, e fará uma conferência na Assembleia da República. Ernani Pimentel afirmou que estará disponível para conversar também em universidades, academias de letras e escolas de segundo grau. Entre os dias 25 e 28 de Novembro, também estará no país o professor brasileiro Pasquale Cipro Neto.

Pimentel critica alguns pontos do Novo Acordo, como o uso hífen. Segundo o linguista, não existe qualquer lógica nas opções. Exemplo disso é o caso de super-humano ser grafado com hífen, e desumano não.

"Hoje o aluno não acredita somente na palavra do professor, mas quer que ele o ajude a pensar e a entender. Precisa haver lógica", disse.

O linguista também se diz contrário à queda do acento diferencial (como em pode e pôde), e às actuais regras de uso do j e do g.

"A simplificação irá melhorar a compreensão geral da língua, tanto para entender um texto como para escrever e os outros compreenderem", acrescentou Pimentel.

Sem comentários:

Enviar um comentário