COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

terça-feira, 25 de março de 2014

PARABÉNS AO PRÍNCIPE DA BEIRA!

10003503_367399213398525_1899577956_n

A Plataforma de Cidadania Monárquica vem por este meio apresentar a Sua Alteza Real, O Senhor Dom Afonso de Bragança, Príncipe da Beira os sinceros votos de um Feliz 18.º Aniversário e apresentar-Lhe a sua empenhada lealdade.

“(…) A Realeza é outra coisa, visa de longe a meta, e, com prudente vagar, chega ao fim planeado; se não for o Pai a ultimar a realização, seu Filho, automaticamente alçado Rei, educado das mesmas ideias de seu Pai, tudo seguirá como se a mesma vida fosse, o labor do mesmo pensamento.
 
Assim se fez o Império, com o prolongamento do comando: – A Dinastia.
 
A todas as Repúblicas, por melhores que sejam, falta e faltará sempre, este apanágio das Realezas: – a Continuidade.”

- 2.º Conde de Alvellos in “IV – O Berço Exilado do Príncipe da Beira; Carta a um Príncipe – O Berço Exilado, Terceira Tiragem, Porto, 1946”.






PARABÉNS, SENHOR DOM AFONSO - PRÍNCIPE DA BEIRA!
– por Plataforma de Cidadania Monárquica
 

A equipa da Plataforma de Cidadania Monárquica vem pela presente apresentar os Parabéns e expressar a Sua Alteza Real, O Senhor Dom Afonso de Santa Maria de Bragança, Príncipe da Beira, os sinceros votos de um Feliz 18.º Aniversário.
Longa Vida ao Príncipe da Beira!
 

Como escreveu o 2.º Conde de Alvellos in “IV - O Berço Exilado do Príncipe da Beira; Carta a um Príncipe - O Berço Exilado, Terceira Tiragem, Porto, 1946”:
“(…) A Realeza é outra coisa, visa de longe a meta, e, com prudente vagar, chega ao fim planeado; se não for o Pai a ultimar a realização, seu Filho, automaticamente alçado Rei, educado das mesmas ideias de seu Pai, tudo seguirá como se a mesma vida fosse, o labor do mesmo pensamento.
Assim se fez o Império, com o prolongamento do comando: - A Dinastia.
A todas as Repúblicas, por melhores que sejam, falta e faltará sempre, este apanágio das Realezas: - a Continuidade.” -
 

VIV’Ó PRÍNCIPE DA BEIRA!

Plataforma de Cidadania Monárquica  

Sem comentários:

Enviar um comentário