COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

FAMÍLIA REAL PORTUGUESA PRESENTE NO MATRIMÓNIO DE DONA AMÉLIA DE ORLEÃES E BRAGANÇA

Os noivos na saída da igreja, ao fundo, Dona Cristina e Dom António admiram o casal
Foto: divulgação 

Celebrou-se em 16 de Agosto de 2014, às 17h, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, a Capela Imperial, no Rio de Janeiro, o casamento da Princesa Dona Amélia de Orleães e Bragança com Alexander James Spearman.

A antiga Capela Imperial ficou lotada pelos convidados, dentre os quais a Duquesa de Bragança, a Senhora Dona Isabel, acompanhada dos filhos Dom Afonso de Santa Maria, Príncipe da Beira e Herdeiro do Trono de Portugal, a Infanta Dona Maria Francisca e Dom Dinis, Duque do Porto, bem como a Princesa Maria Laura da Bélgica, Arquiduquesa da Áustria-Este - filha do Arquiduque Lorenz e da Princesa Astrid da Bélgica -, a Arquiduquesa Alexandra da Áustria e o marido, o Embaixador Héctor Riesle Contreras, a Família Principesca de Ligne - completada pelos irmãos da Princesa Senhora Dona Cristina e do Príncipe Miguel -, dos Condes de Nicolaÿ, e d'Ursel de Bousies, além do Príncipe Dom Casimiro de Bourbon Duas-Sícilias e, de sua esposa, Dona Maria Cristina, nascida Princesa de Saboia, acompanhado dos filhos - o Padre Alessandro e Dom Luís Afonso. Presentes ainda inúmeros amigos e parentes do noivo, vindos do Reino Unido da Grã-Bretanha e trajando o típico kilt. Os Príncipes da Família Imperial estiveram também reunidos durante a celebração, destacando-se a figura de Sua Alteza Imperial e Real, o Senhor Dom Bertrand de Orleães e Bragança, que na qualidade de Príncipe Imperial do Brasil, representou a S.A.I.R., o Senhor Dom Luiz.

O Padre Jorge Luiz Pereira das Neves celebrou o casamento, sendo auxiliado pelos concelebrantes Padre Alessandro de Bourbon Duas-Sicílias, primo da noiva, e pelo Padre Silmar Alves Fernandes, pároco da igreja. Todos os convidados acompanharam atentamente, através do libreto composto especialmente para a data, a celebração feita em português e inglês. O Coral dos Canarinhos de Petrópolis e o Quinteto de Cordas da Orquestra Filarmónica também daquela cidade, sob a regência do Maestro Marco Aurélio Lischt, abrilhantaram a cerimónia. Os pequenos Samuele Bridge, Eduardo de Orleães e Bragança de Carvalho Moreira, Pedro de Orleães e Bragança Mendes, Matilde Figuerola-Ferreti, Maria Sofia de Orleães e Bragança Moreira, Maria de Orleães e Bragança Ratto e Stella Schrader, foram, respectivamente, pajens e damas de honra dos noivos. A noiva se vestiu conforme a tradição católica e o noivo vestiu o característico fraque com calças que caracterizam a tradição escocesa, sendo àqueles quadriculados exclusivos da família Spearman.  

Do Vaticano, Sua Santidade, o Papa Francisco enviou sua bênção ao casal, que foi lida pelo Padre Jorge. Após a bênção final e a assinatura dos padrinhos como testemunhas do sacramento, seguiu-se recepção no Palacete do Conde Modesto Leal, no bairro das Laranjeiras. O grande solar, que foi ricamente ornamentado com telas executadas pela tia da noiva, a Princesa Dona Maria Gabriela de Orleães e Bragança, serviu de palco para a festa que homenageou Dona Amélia e James Spearman.

De acordo com o Pró Monarquia, a Princesa Dona Amélia assinou seu acto de renúncia por si e por seus descendentes, em 15 de Agosto de 2014.

A antiga Capela Imperial

Interior da Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé

Palacete dos Condes Modesto Leal, onde ocorreu a recepção para os convidados

Os noivos
Imagem: Sipapress


Convidados:
Os príncipes D.Gabriela e D.Rafael Orleães e Bragança.
D.Isabel, Duquesa de Bragança e o filho, D.Dinis.
A princesa belga Cristina de Ligne e o Príncipe D.António Orleans e Bragança.

O casamento foi celebrado na histórica Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo – Antiga Sé e Capela Imperial do Rio de Janeiro, onde os Imperadores do Brasil foram coroados e a Princesa Dona Isabel (1846-1921) foi desposada pelo Conde d’Eu (1842-1922). Lembrando um verdadeiro conto de fadas, esta deve ter sido a mais grandiosa cerimónia de casamento realizada no Brasil desde os tempos do Império. A recepção foi oferecida no também histórico Palacete Modesto Leal, no bairro de Laranjeiras. A Família Imperial Brasileira teve sua máxima representação na figura do Príncipe Dom Bertrand, Príncipe Imperial do Brasil, o Chefe da Casa Imperial, impossibilitado de viajar, acompanhou a sua sobrinha nesta ocasião.
Além da Família Imperial e da Casa Principesca de Orleans e Bragança, compareceram os membros da Família Principesca de Ligne, das Famílias dos Condes de Nicolaÿ, Baronetes Spearman, Marqueses de Garrigues, Marqueses de San Saturnino de la Granja e dos Barões Garel-Jones, parentes próximos dos noivos, além de representantes da Família Imperial da Áustria, das Famílias Reais da Bélgica, França, Portugal, Baviera e Duas Sicílias, da Família Grão-Ducal do Luxemburgo e da Família Principesca de Liechtenstein, e também representantes das mais diversas Casas Nobres da Europa e descendentes da Aristocracia do Império do Brasil. 



Publicado em Blog_Real

Sem comentários:

Enviar um comentário