UM SANTO NATAL A TODOS!

UM SANTO NATAL A TODOS!
A REAL ASSOCIAÇÃO DA BEIRA LITORAL DEIXA A TODOS OS SEUS ASSOCIADOS E AMIGOS VOTOS DE UM SANTO E FELIZ NATAL

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

quarta-feira, 18 de março de 2015

VIV’Á MONARQUIA!


Em 1919 verificou-se no Porto uma efusiva e concorrida manifestação monárquica. Mesmo vivendo sob o regime ditatorial da 1.ª República que proibira as manifestações, as greves e instituíra o Partido Republicano como partido único, desde 1911, por decreto do então ministro da Justiça Afonso Costa, o Povo sempre temerário não se deixou vergar pela ameaça da repressão.
 
Muitos gritos de ordem se têm feito ouvir nos últimos tempos, mas aquele que realmente pode significar a Salvação Nacional só pode ser um: VIV’Á MONARQUIA!
 
Já Platão, que acabou por chegar à conclusão que o melhor sistema de Governo era a Monarquia – o que curiosamente fez na sua obra “A República” –, advertia que “o preço a pagar pela tua não participação na política é seres governado por quem é inferior”.
 
Ora é o que tem acontecido, salvo honrosas – mas poucas – excepções, nos últimos 104 anos. De facto, nunca a máxima de “que a excepção confirma a regra”, teve mais cabimento, ou não fosse por isso ‘excepção’.
 
A regra é mesmo a do mau político, aquele que Eça de Queiroz descreveu, em 1867 in Distrito de Évora, como sendo suas características: “… vão a faustosas inaugurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver coisas. Não têm a austeridade, nem a concepção, nem o instinto político, nem a experiência que faz o Estadista. É assim que há muito tempo, em Portugal, são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e interesses, por especulação e corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a independência?”.
 
Pois há Homens que são talhados pela genialidade; e o pior, que, o sempre actual, Eça previra, aconteceu.
 
A essência da Democracia é de que ninguém é obrigado a concordar com nada e, portanto, é hora de defendermos com toda a veemência a Causa da Monarquia.
 
Temos Voz vamos fazê-la ouvir! SOMOS POVO E NÃO POPULAÇÃO! Por isso o Povo não pode ser apenas a margem de manobra dos políticos republicanos.
 
Queremos um debate esclarecedor, igual e democrático sobre a questão de modelo de regime; por isso tem de ser facilitado aos monárquicos o tempo de antena necessário para poder transmitir a sua mensagem, tal como fazem as outras entidades políticas. Nenhum partido republicano tem o monopólio da defesa da Democracia e da Legalidade.
 
Queremos um Rei como Chefe de Estado para que possamos ter uma força moral que vigie e regule o sistema!
 
 Vamos fazer ouvir a voz dos Monárquicos na defesa do nosso amado País e na apologia do modelo de regímen que achamos melhor para a nossa Nação!
 
Então, como é que é:
Viv’ó Rei!
Então, como é que é:
Viv’á Monarquia!

Miguel Villas-Boas - Plataforma de Cidadania Monárquica
 

Sem comentários:

Enviar um comentário