COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

terça-feira, 28 de abril de 2015

PRESENÇA REAL NO 1º CLÁSSICO DO FUTEBOL

FCP e o Rei

No dia 2 de Março de 1894 disputou-se o primeiro clássico de futebol em Portugal entre uma equipa da Cidade Invicta e outra da Capital. O jogo do recém-introduzido desporto realizou-se no Campo dos Ingleses – assim chamavam ao Campo do Oporto Criket and Law-Tennis Club -, no Campo Alegre, no Porto. Às 15h15m começou o chamado «match» entre o Foot-Ball Club do Porto e o Foot-Ball Club Lisbonense.

A 2.ª parte do jogo contou com as Reais Presenças de Suas Majestades os Reis Dom Carlos I e Rainha Dona Amélia de Portugal assim como de Suas Altezas Reais o Príncipe Real Dom Luís Filipe e o Infante Dom Manuel, que muito foram vitoriados pela multidão, proveniente das colónias balneares da Foz do Douro, de Matosinhos e de Leça da Palmeira, que acolheu a ver o jogo.

Recorde-se que o Foot-Ball Club do Porto, cujo primeiro campo de treinos se situava em Matosinhos, foi fundado, em 28 de Setembro de 1893, no dia dos aniversários natalícios de SS.MM. Fidelíssimas El-Rei Dom Carlos I de Portugal e Rainha Dona Amélia, por iniciativa do monárquico António Nicolau D’Almeida, um jovem comerciante de Vinho do Porto e mais tarde vitivinicultor de grande prestígio (produtor do célebre vinho Barca Velha), que descobriu o futebol nas suas viagens a Inglaterra.

Logo no jogo de inauguração, acima referido – o entusiasmo pelo match foi óbvio, e o clássico entre as duas equipas supracitadas foi apenas o 3.º jogo oficial realizado no País.

Sobre a História do Futebol e a sua difusão em Portugal não vale a pena dizer mais nada, pois tornou-se o Desporto-Rei! Rei, sempre um Rei ou Rainha, pois na iconografia popular não há lugar à terminologia republicana: como seria estranho escutar a expressão o ‘Desporto-presidente’. Só faz sentido haver um Desporto-Rei e um Rei do Desporto, uma disciplina Rainha; é algo natural atribuir a tudo que se destaca desmedidamente numa determinada área desportiva e, também, artística e cultural, um título “real”, porque no âmago todos somos monárquicos. Não haveria nexo em outorgar a figuras desta envergadura outro rótulo que não fosse de tal grandeza.

Sem comentários:

Enviar um comentário