A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

32 ANOS DE NOVA MONARQUIA. ACABOU A RESERVA ACTIVA?


32 anos de Nova Monarquia

Acabou a reserva activa ?

Há trinta e dois anos, três ou quatro dezenas de militantes do PPM revoltaram-se contra o amadorismo, o imobilismo, o tertuliarismo, as "hortas sociais", mais as manias das genealogias e das heráldicas e brasonários, os marialvismos, as intermináveis conversetas notívagas - fumarentas e etilizadas - da sede do PPM e fizemos a Nova Monarquia. Fizemo-lo com riscos tremendos - riscos físicos até - e montámos uma organização de combate político à qual se foram agregando centenas de militantes de primeira plana. Em 1991, quando suspendeu actividade, a Nova Monarquia tinha 600 associados, enchia mensalmente salas - do Hotel Roma, do Altis, do Lutécia - e organizava caravanas automóveis, desfiles e arruadas, cobria Lisboa de cartazes e murais, organizava sessões musicais no São Luís e no Teatro da Trindade, participava em debates públicos; em suma, existia e não pedia créditos.

Nesse tempo, não tínhamos nem dinheiro nem havia internet ou telemóveis, a imprensa era, absoluta e irremediavelmente, hostil e inimiga. O trabalho, as reuniões, as circulares e os contactos eram feitos em minha casa e, depois, no escritório à Brancaamp, na Igreja São João de Deus ou no Colégio Pio XII.

Em quatro anos, a Nova Monarquia cresceu, espalhou-se pela geografia portuguesa, constituiu núcleos nas principais universidades, conseguiu eleger militantes seus para os corpos dirigentes das associações de estudantes das universidades de Lisboa, Porto e Coimbra, ganhou em dezasseis associações de estudantes do ensino secundário da região de Lisboa. Em 1987, recebemos um telefonema da direcção do CDS. A NM foi convidada para integrar as listas do partido e a campanha desse ano foi feita integralmente pela Nova Monarquia.

Na altura, moveram-se campanhas absolutamente infames, boicotaram-nos, difamaram-nos, fecharam-nos portas e intrigaram. Aqueles que nada faziam, que nada haviam jamais feito, mataram a Nova Monarquia. Depois, foi o silêncio. Voltaram ao mesmo que sabiam fazer. Hoje, estamos nisto.

Parece que terminou a reserva activa. Ontem recebi uma dezena de amigos. Pediam-me que voltássemos à liça. Bom, há que reflectir, mas assim não podemos continuar.


1 comentário:

  1. Hoje este PPM de 2015. Parece esse extinto NM, pois não se fecha entre paredes, nem em tertúlias, nem nessas coisas todas que muitos grupos não políticos e monárquicos fazem. Saímos para a rua ouvimos as pessoas, pegamos nos seus clamores e fazemos disso programa eleitoral, para defendermos as vozes da o povo e da comunidade. Temos um projeto novo chamado SER PPM, que nasceu a norte e que vai ter no Porto o seu primeiro momento de reflexão, debate, formação e planeamento para levar o povo monárquico a acordar. Pois até agora todos querem ser monárquicos entre monárquicos, nós PPM, estamos a acordar os portugueses do povo, cidadãos que nunca se sentaram para falar de monarquia. Esse é o caminho para uma revolução e ideias e que com o voto poderá mudar tudo Se os monárquicos verdadeiros, votassem num partido monárquico teríamos voz no parlamento. Se fossemos comunistas seria impensável votarem num partido não comunista. Isso é o trabalho que começou agora com este PPM. Isto é SER PPM. É ser monárquico.

    ResponderEliminar