23º CONGRESSO DA CAUSA REAL

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

COMUNICADO DA DIRECÇÃO NACIONAL DA JMP - JUVENTUDE MONÁRQUICA PORTUGUESA

 
Sobre o triste espectáculo da campanha para as presidenciais, a JMP toma a seguinte posição:

1. O país assiste a uma feira de vaidades em que cada candidato mostra os seus dotes, sempre superiores ao do concorrente, baseados no enaltecimento dos seus egos, como mostraram os recentes debates televisivos;

2. Cada candidato luta por provar que é mais independente do que o outro face aos vários poderes políticos, como se essa independência fosse mesmo possível. Por certo que foram todos varridos por uma amnésia que os impossibilita de recordar o seu próprio passado político, repleto de jogos e contactos acumulados:

3. Portugal é sujeito a uma fantochada política em nome, dizem eles, de mais democracia e justiça. Mas alguém acredita que a democracia e a justiça vivem sem um poder moderador e independente, livre de pressões e interesses?

4. A vergonha e a tibieza não têm limites. Alguns candidatos são tudo e o seu contrário só para conseguir agradar a esquerda e a direita, outros conseguem o apoio de membros do Governo (independência?) e ainda outros concorrem por diversos motivos, mas nenhum ligado à magistratura que está em causa nestas eleições;

5. A JMP constata que esta campanha eleitoral, pela forma vergonhosa como decorre, está a contribuir para que os portugueses olhem para a alternativa monárquica como a solução de que o país precisa. Portugal merece mais do que ser o palco dos egoísmos da velha república.

A Direcção Nacional da JMP
Lisboa, 12 de Janeiro de 2016
 

2 comentários:

  1. Para conseguir um alternativa monárquica, sem derramamento de sangue, é preciso alterar a Constituição vigente.
    Como é que a Juventude Monárquica pensa proceder?

    ResponderEliminar