A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sábado, 19 de março de 2016

LICOR SINGEVERGA - O LICOR DOS BENEDITINOS PORTUGUESES


Aos monges se deve, com efeito, entre os muitos benefícios de que a humanidade lhe é devedora, o terem inventado, juntamente com os processos de fabrico, os melhores e mais afamados licores que se conhecem. Assim, por exemplo, foram os beneditinos da abadia de Fécamp que , no século XVI, criaram o tão conhecido e justamente apreciado licor «Bénédictine».

Desconhecedores das chamadas «essências sintéticas» da indústria moderna, os monges cultivavam nos seus viridiários as mais variadas plantas aromáticas, de que extraíam, ao depois, por engenhosos, ainda que rudimentares, processos de destilação, as finíssimas essências com que eram preparados esses deliciosos néctares, tantas vezes imitados, mas nunca igualados.

Os mesmos processos, mas evidentemente aperfeiçoados, são aplicados na preparação do LICOR DE SINGEVERGA.

Este não é um licor como tantos outros: imitações servis de marcas estrangeiras de mais ou menos nomeada, como por aí se vêem, com o rótulo de «conventual», de «tipo monástico» e semelhantes – meras fórmulas de reclamo comercial. O LICOR SINGEVERGA não é uma imitação; é um licor original, preparado segundo uma fórmula nova, resultado de longas, pacientes e comprovadas experiências. É, além disso, o único licor em Portugal genuinamente monástico, inteira e exclusivamente preparado pelos monges, e por destilação directa de plantas aromáticas de reconhecidas propriedades balsâmicas e mesmo terapêuticas.

É um licor que se impõem pela escrupulosa meticulosidade da sua preparação, pelo seu finíssimo aroma e paladar delicadíssimo.

Localização do Mosteiro de Singeverga:
Rua Mosteiro de Singeverga, nº 200
4795-309 Roriz
Santo Tirso

Sem comentários:

Enviar um comentário