A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sábado, 1 de julho de 2017

POESIA TROVADORESCA: 3 CANTIGAS DE AMIGO D'EL REI DOM DINIS





Dom Dinis I - Rei de Portugal

Portugal (1279-1325), nascido em Lisboa, conhecido como o Rei Trovador ou o Rei Lavrador, devido a ter prestado grande dedicação ao desenvolvimento da agricultura. Filho de Afonso III e de sua segunda mulher, Beatriz, e neto de Afonso X de Castela, casou-se com Isabel de Aragão, posteriormente chamada a Rainha Santa pelas suas excepcionais virtudes. Desde cedo foi preparado para ser rei pelo seu pai e quando subiu ao trono português, aclamado em Lisboa (1279), impôs sua autoridade e consolidou a unificação administrativa e cultural da nação. Quando subiu ao trono imediatamente procurou normalizar a situação com a Igreja Católica, jurando ao Papa Nicolau III proteger os interesses de Roma em Portugal. Extinguiu a Ordem do Templo e criou a Ordem de Cristo ligada à Ordem dos Templários. Foi essencialmente um rei administrador e não guerreiro, pois embora tenha se envolvido na guerra com Castela (1295), desistiu dela em troca das vilas de Serpa e Moura. Pelo Tratado de Alcanises (1297) firmou a Paz com Castela, definindo-se nesse tratado as fronteiras actuais entre os dois países ibéricos. Para estimular a agricultura, distribuiu terras a colonos, mandou construir canais, secar pântanos. delimitou os privilégios territoriais da Igreja . Foi cognominado O Lavrador ou O Rei-Agricultor. Começou a interessar-se também pelo desenvolvimento do comércio marítimo e aperfeiçoamento dos processos de navegação, contratou marinheiros italianos para virem trabalhar em Portugal, fez convénios comerciais com outros Monarcas. Durante seu longo reinado, o comércio também prosperou, com o aumento da extracção de metais, a protecção às feiras e a reorganização da Marinha. Beneficiou a literatura e mandou traduzir livros latinos, inclusive a Geografia de Razis. Adoptou o vernáculo nos documentos oficiais e, com o apoio do Papa, criou a primeira universidade portuguesa (1290), que funcionou entre Lisboa e Coimbra, até se fixar nesta última cidade como a famosa Universidade de Coimbra, uma das universidades mais antigas do mundo, sendo a mais antiga e uma das maiores de Portugal. Começou a usar-se a língua portuguesa nos documentos escritos e foi o primeiro rei português a assinar os seus documentos com o nome completo. Foi poeta e protector de trovadores e jograis, também apelidado de O Rei Poeta ou O Rei Trovador pelas cantigas que compôs e pelo desenvolvimento da poesia trovadoresca a que se assistiu no seu reinado. Compôs cerca de 140 cantigas líricas e satíricas, e permaneceu no poder até sua morte, em Santarém, e está sepultado no Convento de São Dinis, em Odivelas.

Vídeo com três cantigas de amigo. Este vídeo foi feito a partir das publicações de Clasica2vídeos, com a cantiga de Martín Códax - "Ondas do mar de Vigo"-, de "The Dufay Collective-Cantigas de Amigo: I. Ondas do mare de Vigo", gravação de som administrado por Harmonia Mundi; de Marcos Celeiro, "Lírica galego-portuguesa - Ai flores, ai flores do verde pinho", com voz de Helena De Alfonso, numa canção publicada no primeiro disco do grupo «Barahunda» em 2002; e de Campbra - "Cantiga Medieval galaico-portuguesa (music & lyrics)".


1 comentário:

  1. Gostaria de não morrer sem ver este Grande Senhor à frente dos destinos de Portugal...

    ResponderEliminar