25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

COMO SE DEVE PORTAR UM EMBAIXADOR DO REI DE PORTUGAL

Foto de Nova Portugalidade.

Em 1510, Afonso de Albuquerque, que recentemente se assenhoreara de Goa, recebeu uma missão diplomática persa enviada pelo Xá Ismail, da nova dinastia Safávida. Os persas xiitas estavam em guerra com o império otomano (sunita), pelo que sugeriram aos portugueses estabelecerem um pacto anti-otomano. Albuquerque mostrou-se feliz e encarregou um dos seus capitães, Rui Gomes de Carvalhosa, para se dirigir a Tabriz, sede da corte persa, para ali iniciar conversações.

Para que a missão alcançasse pleno êxito, Rui Gomes foi instruído para que não pedisse nada, não comesse mais do que lhe dessem, não se espantasse com nada do que visse, não se detivesse a olhar, não se mostrasse irado por nada que lhe fizessem, não se risse de forma chocarreira nem de coisa que visse, não falasse em excesso, não fizessem perguntas e somente respondesse ao que lhe perguntassem, que na presença do soberano persa lhe rendesse as cortesias que visse que os outros lhe prestassem, que ao Xá contasse as grandezas da pessoa do Rei de Portugal e da Rainha, que não errasse nem mentisse em nada, que recolhesse toda a informação por escrito de tudo o que visse e ouvisse, que não tivesse qualquer contacto com mulheres.

MCB

Para quantos se interessam pelo assunto, recomendamos:

1. Afonso Dalboquerque, capitão geral que foi das Indias Orientaes em tempo do muito poderoso rey D. Manuel, o primeiro deste nome. Lisboa: na Regia Officina Typografica, 1774
2. Roberto Gulbenkian, As embaixadas e as missões diplomáticas portuguesas na Pérsia. Lisboa: Academia Portuguesa da História, 1986


Sem comentários:

Enviar um comentário