25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

JESUÍTAS PORTUGUESES NO TECTO DO MUNDO

Foto de Nova Portugalidade.

O Tibete foi um dos últimos destinos dos Descobrimentos, apesar de n’ Os Lusíadas se valorizar uma nação de marinheiros intrinsecamente ligada ao mar e ignorar os que se aventuravam pelo interior dos continentes americano, africano e asiático, como foi o caso dos jesuítas, que desafiaram os Himalaias.

Região quase mítica, o Tibete esteve afastado do mundo ocidental pelo menos até ao início do século XVII, altura em que jesuítas portugueses instalados em Goa, incitados pelos rumores de que ali existiriam comunidades cristãs, abriram o caminho a uma série de exploradores e aventureiros que apenas quase três séculos depois ousariam partir em busca das riquezas materiais e espirituais dessa nação.


Em 1624, após uma duríssima travessia através dos “desertos de neve” que separam a Índia do Tibete, o padre António de Andrade e o irmão Manuel Marques chegaram a Tsaparang, a capital do reino tibetano de Guge. Foram os primeiros ocidentais a visitar o Tecto do Mundo. Outros pioneiros se seguiriam, optando por diferentes rotas que os levariam aos não menos misteriosos reinos do Ladakh, Sikkim, Nepal e Butão.

António de Andrade, Francisco de Azevedo, João Cabral e Estêvão Cacela, entre muitos outros, foram as únicas autoridades em matéria de tibetologia até à segunda metade do século XVIII.

Inspirado pelas visitas efectuadas ao Tibete escrevi o livro “Viagem ao Tecto do Mundo – O Tibete desconhecido”, que daria origem à série documental televisiva “Himalaias, Viagem dos Jesuítas Portugueses” emitida pela RTP 2 e RTP Internacional.

Nos próximos dias colocarei na página os quatro episódios dessa série, acompanhados das respectivas sinopses, para visualização e partilha desse extraordinário feito lusitano, até hoje, infelizmente, desconhecido pela esmagadora maioria dos povos da Portugalidade.

Entretanto, fica aqui o trailer, para aguçar o apetite:


Joaquim Magalhães de Castro




Sem comentários:

Enviar um comentário