25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

25º ANIVERSÁRIO DA REAL ASSOCIAÇÃO DE VISEU

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

PORTUGUESES ESQUECIDOS POR PORTUGAL: OS SILVAS DO SRI LANKA

Foto de Nova Portugalidade.

Visitando esta cidade de KANDY, Antiga capital do SRI LANKA (o Ceilão de antes, a mítica Taprobana dos Lusíadas .... ) andava surpreendido com a quantidade de nomes e apelidos portugueses por todo o lado..... já no hotel me tinha dado conta que um terço da lista telefónica eram apelidos nossos, Figueira, Sìlva, Pereira, Soares, Menezes, Albuquerque.....

Junto a um estabelecimento no mercado, mais um Silva, fiz questão em aprofundar um pouco e perguntei quem era o proprietário Silva. 

Não estava, tinha ido comprar especiarias e condimentos num outro segmento do mercado.


Pedi para me o apresentarem e esperei um pouco.

Passados minutos, aparece me este personagem, com um sorriso rasgado e muito seguro de si, exclamando em português entendível:

“ O Silva sou eu.....”.

Seguiu-se uma conversa em que me falou dos antigos portugueses e das suas comunidades, cada vez mais raras e dispersas, os chamados “burgers “.

Fez questão em frisar que era português, não holandês, e que ele e muitos como ele vieram de Goa há muitos anos por razões de toda a ordem (era então o ciclo português de administração do Ceilão, aproximadamente cento e cinquenta anos, antes de perdermos essa função para os holandeses).

Muitos desses portugueses de Goa, com mil misturas, são oriundos de mestres e obreiros que trabalharam na construção das igrejas em Goa e que foram em determinada altura para o vizinho Ceilão, com o mesmo propósito.

Têm ainda hoje hábitos e papiá próprios, ouvi por várias vezes uma modinha que cantam chamada “casinha minha casinha ..,,”

Lembro -me do arrepio que senti, revendo ao vivo um “ambiente” seguramente parecido com o das naus portuguesas do Índico dos Sec 16 ou 17.,,,

Nós portugueses andámos de facto por aí a compor o nosso fado e não, a nossa História não é igual a outras...nem melhor nem pior, apenas fascinante e diferente, com luz e sombras, como tudo na vida.

António Inocêncio Pereira, Embaixador de Portugal em Kinshasa, República Democrática do Congo

Foto de Nova Portugalidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário