TV MONARQUIA PORTUGUESA

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O FERIADO DA NACIONALIDADE

Bradava Manuel Alegre, na-sua-costumeira-expressão-ética-de-quem-utiliza-a-viatura-do-Estado-para ir-à-caça, que "nem Salazar se atreveu a mexer no feriado da República".
 
Pois não. A Salazar, republicano sabidola, convinha um regime em que o prestígio de uma Chefia de Estado dinástica não fizesse sombra aos seus propósitos autocráticos.
 
Convergem - Alegre e Salazar - na crença em algo, julgo que não um Ideal, mas seguramente um apetrecho - de ascenção e perpetuação dos poderosos da classe política.
 
Desta feita, a manutenção do feriado comemorativo da implantação da República (em preterição do da Restauração) é, simplesmente, uma afronta à Nacionalidade.
 
Mas há bom remédio para o ultraje: comemoremos, nós portugueses, nessa data, como sempre, a Fundação de Portugal. E veremos quais as cerimónias mais participadas: se as anquilosadas e esclerosadas idas aos pés de bronze de António José de Almeida, se as nossas manifestações em Guimarães, Coimbra ou em qualquer outro lugar onde queiramos festejar oito séculos de História e esquecer cem anos de descalabro.

João Afonso Machado
 
Fonte: Corta-fitas

Sem comentários:

Enviar um comentário