A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

sábado, 21 de maio de 2022

DUQUE DE BRAGANÇA E DUQUESA DE COIMBRA NA CELEBRAÇÃO DO 20º ANIVERSÁRIO DA INDEPENDÊNCIA DE TIMOR

 

Duque de Bragança em Timor na celebração do 20.º Aniversário da Independência de Timor-Leste 20 anos depois
Foi precisamente há 20 anos, no dia 20 de Maio de 2002, que Timor-Leste, após duas décadas de ocupação Indonésia, se tornou independente. Durante a ocupação do território timorense, a Indonésia proibiu o uso do português e desencorajou o uso de tétum. Estabeleceu uma censura à imprensa e fechou o país aos observadores internacionais.

Só depois da renúncia do presidente Suharto em 1998, e a ascensão de Jusuf Habibi à presidência Indonésia, que permitiu a democratização do regime, a ideia do referendo foi retomada, tendo a ONU, Portugal e Indonésia concordado com a sua realização, sob os auspícios das Nações Unidas e resultou na independência de Timor-Leste. acordaram na realização de um referendo em Timor.

A 30 de Agosto de 1999, 78% do povo timorense votou pela independência de Timor-Leste.
Após esta breve introdução ao tema, importa referir que S.A.R. o Senhor Dom Duarte de Bragança, foi um dos maiores activistas na defesa da causa do Povo de Timor.

Desde cedo defendeu o direito à auto-determinação do Povo timorense, ainda antes de a luta pela independência ter impacto na imprensa internacional.

Envolveu-se em diversas campanhas, entre as quais se destacam “Timor 87 Vamos Ajudar” e a campanha que envolveu o navio “Lusitânia Expresso”.

O “Lusitânia Expresso”, tinha como missão atracar o navio em Díli, o que não aconteceu, por ter sido impedido pela marinha de guerra indonésia. No entanto, o objectivo de alertar o mundo para a causa timorense foi alcançado.
Contactou por diversas vezes José Ramos Horta e o administrador apostólico de Díli, D. Ximenes Belo, assim como, com o conhecimento do Dr. Jaime Gama, Ministro dos Negócios Estrangeiros na altura, tentou estabelecer um plano de paz para Timor, tendo convidado Kartika Sukarno, filha do Presidente Sukarno e irmã da depois Presidente da Indonésia Megawati Sukarnoputri, a visitar Portugal.
Em 1997, deslocou-se a Jacarta onde foi recebido pelo então ministro indonésio dos Negócios Estrangeiros Ali Alatas, e pelo vice-Presidente Jusuf Habibi, a quem expôs a proposta da realização de um referendo em Timor, recusada pelo Presidente Suharto.

Tentou visitar na prisão Xanana Gusmão, mas foi-lhe recusada esta visita, tendo-se deslocado a Timor-Leste, a convite de D. Ximenes Belo, onde comunicou com elementos da resistência.
Importa ainda lembrar o apoio que S.A.R. o Senhor Dom Duarte de Bragança deu às comunidades timorenses que foram acolhidas em Portugal.
Pelos serviços prestados à Causa e ao Povo Timorense, o Parlamento de Timor-Leste, pela Resolução N.º 12/2011 de 8 de Junho, atribui a nacionalidade timorense a Sua Alteza Real o Senhor Dom Duarte Pio.
Contrariamente à imprensa portuguesa, que apenas faz referência à presença das autoridades republicanas portugueses nas comemorações dos 20 anos de independência, Timor não esqueceu os serviços prestados pelo Duque de Bragança ao Povo timorense e à sua causa.

Assim, a convite do governo local, o Duque de Bragança, acompanhado da Infanta Dona Maria Francisca, viajou até Timor, onde se encontram para participar nas celebrações do Dia da Restauração da Independência e noutras actividades de carácter oficial e privado.
A Causa Real felicita o POVO de TIMOR pelos 20 anos de independência, que transformaram o país num estado soberano.

Sem comentários:

Enviar um comentário