COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

COMUNICADO DA CASA REAL PORTUGUESA

LEI DO PROTOCOLO DO ESTADO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

segunda-feira, 16 de junho de 2014

S.A.R. A SENHORA DONA ISABEL NA COMEMORAÇÃO DOS 180 ANOS DA PASSAGEM D'EL REI D. MIGUEL I POR ALVALADE

Decorreu no dia 31 de Maio na Casa do Povo de Alvalade a comemoração da passagem de D. Miguel I por Alvalade, onde pernoitou, com a sua comitiva, a caminho de Sines, donde partiu para Génova (Itália) para o exílio. Na sessão solene no Salão de Festas estiveram presentes a Duquesa D. Isabel de Bragança, esposa de D. Duarte Pio, ausente no estrangeiro, o Duque de Viseu, o Embaixador do Luxemburgo e outros membros da Casa de Bragança, representante da família Lança Parreira,que recebeu o Rei em sua casa e muitos outros convidados. A Mesa era composta pelos Órgãos Directivos da Casa do Povo, pelos oradores da comemoração Prof. Universitário Dr. Braga da Cruz, ex-reitor da Universidade Católica e Arqtº Lobo de Vasconcelos, um santiaguense ilustre que colaborou com a Casa do Povo na organização do evento. Presentes também o Vereador da Cultura da Câmara Municipal e o Presidente da Junta de Freguesia. Entre os vários convidados destacamos o Dr. Augusto Deodato Guerreiro e Dr. Luís Pedro Ramos, administrador do Alvalade.info.

Abriu a sessão o Sr. Luís Silva,Presidente da Direcção da Casa do Povo que informou os ilustres visitantes das importantes actividades culturais e valências sociais da instituição, seguiu-se o Presidente da Junta de Freguesia, Sr. Rui Madeira que saudou os ilustres visitantes e elogiou a iniciativa,em seguida o Sr. Arqtº Lobo da Vasconcelos descreveu com minúcia e objectividade os acontecimentos históricos da época que levou ao exílio de D. Miguel após a convenção de Evoramonte e o trajecto que o levou a Sines e a passagem por Alvalade. A seguir falou o Prof. Dr. Braga da Cruz que referiu o apoio amigável da população do Alentejo a D. Miguel e sobretudo em Alvalade, onde, além da família Lança Parreira, muitos populares cederam suas casas para alojar toda a comitiva e suas montadas, desta atitude de bom acolhimento, resultou a extinção do concelho de Alvalade, dois anos depois, em 1836. Em seguida o Presidente da Casa do Povo fez ofertas de produtos regionais à Duquesa D. Isabel de Bragança e outras lembranças aos ilustres convidados. Terminada a sessão,foi descerrada uma placa em azulejos instalada no local da Casa Lança Parreira, demolida há 50 anos, alusiva ao acontecimento histórico. Os visitantes foram convidados a visitar o Lar para Idosos da Casa do Povo,a inaugurar em breve,e o Centro de Dia onde foi servida uma merenda com produtos regionais. Foi bem visível a satisfação de todos os visitantes pela forma como foram recebidos. Os Alentejanos são mesmo assim.Na recepção á ilustre comitiva e durante a merenda de despedida, actuou o GRUPO CORAL DO CENTRO DE DIA que mereceu elogios dos visitantes, em especial da Duquesa D. Isabel de Bragança que se deixou fotografar junto do Grupo, representante do verdadeiro folclore Alentejano.


Fonte: Viver Alvalade


No passado sábado, dia 31 de Maio, a Casa do Povo de Alvalade engalanou-se para assinalar o 180º aniversário da passagem e estadia do Rei D. Miguel I, deposto na sequência da guerra-civil de 1832/34, entre liberais e absolutistas. E se em 1834, Alvalade proporcionou ao Rei D. Miguel I uma estadia tranquila, acolhedora e garantindo que nada faltasse ao régio viajante e respectiva comitiva (para muitos terá sido a melhor recepção e acolhimento que teve ao longo do seu percurso entre Évora e Sines, onde embarcou para o exílio), 180 anos depois Alvalade honrou novamente os seus pergaminhos acolhendo calorosamente S.A.R. a Senhora Dona Isabel de Bragança, S.A. Dom Miguel de Bragança, Duque de Viseu e muitos outros membros da Casa de Bragança, mas também o Embaixador do Luxemburgo, Paul Schmit, vários representantes da família Albino Figueira, descendentes dos Lança Parreira, a família Lobo de Vasconcellos, de Santiago do Cacém, entre muitos outros convidados, para um programa que pretendeu assinalar a efeméride e que teve o seu epicentro na sede da Casa do Povo e no local onde existiu a residência da família Lança Parreira, em plena praça D. Manuel I. A Câmara Municipal de Santiago do Cacém fez-se representar pelo Vereador da Cultura, Norberto Barradas.
O salão de festas da Casa do Povo, onde já se viveram muitos momentos altos da vida social e cultural de Alvalade, guarda agora mais uma página importante da História da freguesia. Naquelas paredes vão ecoar durante muitos anos as palavras simples e hospitaleiras dos anfitriões locais (presidentes da Casa do Povo e da Junta de Freguesia), mas também as duas comunicações/palestras brilhantes a cargo de Francisco Lobo de Vasconcellos e Manuel Braga da Cruz, sobre o percurso e estadia de D. Miguel I, a origem e as ligações familiares dos Lança Parreira e o enquadramento histórico e político do curto reinado de D. Miguel I e da sua vida no exílio.
No local onde esteve a residência da família Lança Parreira, que acolheu D. Miguel I no dia 31 de Maio de 1834, foi descerrado um painel evocativo da efeméride (na fotografia) assinalando e perpectuando a data das comemorações.
A presença de S.A.R. a Senhora Dona Isabel de Bragança conferiu um brilho muito particular às cerimónias, que pela sua simplicidade e simpatia ficará eternamente no coração e na memória dos alvaladenses.
Fonte: Alvalade.info

Sem comentários:

Enviar um comentário