A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

segunda-feira, 24 de junho de 2013

BATALHA DE SÃO MAMEDE


A 24 de Junho, quando Portugal em peso faz fogueiras a São João, praticamente só em Guimarães se celebra aquilo que, desde os Anais de D. Afonso, Rei dos Portugueses, é considerado o primeiro episódio da história portuguesa: a Batalha de São Mamede.

Eis o relato que concede à lenda o seu lugar na história da batalha de São Mamede e aos nobres o papel decisivo na vitória de Afonso Henriques que, assim, teria ficado na sua dependência.

“Na era de 1166 [ano de 1128], no mês de Junho, na festa de S. João Baptista, o ínclito Infante D. Afonso, filho do conde Henrique e da rainha D. Teresa, neto do grande imperador da Hispânia, D. Afonso, com o auxílio do Senhor e por clemência divina, e também graças ao seu esforço e persistência, mais do que à vontade e ajuda dos parentes, apoderou-se com mão forte do reino de Portugal. Com efeito, tendo morrido seu pai, o conde D. Henrique, quando ele era ainda criança de dois ou três anos, certos [indivíduos] indignos e estrangeiros pretendiam [tomar conta] do reino de Portugal; sua mãe, a rainha D. Teresa, favorecia-os, porque queria, também, por soberba, reinar em vez de seu marido, e afastar o filho do governo do reino. Não querendo de modo algum, suportar uma ofensa tão vergonhosa, pois era já então de maior idade e de bom carácter, tendo reunido os seus amigos e os mais nobres de Portugal, que preferiam, de longe, ser governados por ele, do que por sua mãe ou por [pessoas] indignas e estrangeiras. Acometeu-os numa batalha no campo de S. Mamede, que é perto do castelo de Guimarães e, tendo-os vencido e esmagado, fugiram diante deles e prendeu-os. [Foi então que] se apoderou do principado e da monarquia do reino de Portugal.” (in “Dom Afonso Henriques“, José Mattoso, Círculo de Leitores, 2006, página 45))

http://www.edicoes-apeiron.blogspot.pt/

Projecto Apeiron - Apeiron edições



Os ricos-homens de entre Douro e Minho recusavam a obediência aos senhores da Galiza, de que era principal figura Fernão Peres de Trava, o favorito da "rainha" D. Teresa.

Por outro lado, o crescente predomínio do arcebispo de Compostela vinha gerando grande descontentamento no clero da muito mais importante arquidiocese de Braga, posto que fora esta a sede da antiga província romana da Galécia.

Não foi difícil encontrar quem pudesse personificar este descontentamento: O "infante" D. Afonso Henriques, filho de D. Teresa e do entretanto falecido conde D. Henrique, com apenas 19 anos de idade mas já armado cavaleiro, nutria certamente a mesma antipatia em relação aos Travas. Fora educado por Ermígio e Egas Moniz, senhores de Ribadouro, que juntamente com os senhores da Maia, de Sousa, de Baião e de Bragança, constituíam a principal oposição ao domínio galego.

A inevitável batalha travou-se no campo de S. Mamede, em Guimarães, a 24 de Junho de 1128. Há precisamente 885 anos. A partir de então, os feitos notáveis de D. Afonso Henriques fizeram deste  primus inter pares dos vencedores de S. Mamede o grande primeiro Rei de Portugal.

Parabéns, portanto, a S.A.R. o Senhor Dom Duarte, seu legítimo representante.

publicado por João Ferreira do Amaral em 31 da Armada

Sem comentários:

Publicar um comentário