UM SANTO NATAL A TODOS!

UM SANTO NATAL A TODOS!
A REAL ASSOCIAÇÃO DA BEIRA LITORAL DEIXA A TODOS OS SEUS ASSOCIADOS E AMIGOS VOTOS DE UM SANTO E FELIZ NATAL

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

domingo, 27 de abril de 2014

40 ANOS DEPOIS

por Luis Lavradio

A veneração do 25 de Abril reduz os dois anos mais complexos e conturbados da nossa história contemporânea a uma data, e a uma ideia. É pena, diminui a importância de uma série de acontecimentos cujo conhecimento e análise revelam muitos dos fundamentos e fragilidades do nosso actual regime. Para qualquer democracia que procura aperfeiçoar a transparência e a representatividade do seu sistema político, que preza a liberdade e o progresso do seu povo, essa análise seria um imperativo. O jornalismo militante, a censura e indoutrinação desavergonhada nas salas de aula, a conivência na nossa justiça e a obsessão pela manutenção do status quo indicam o contrário. Esta cegueira colectiva denota uma estranha necessidade de autolegitimação 40 anos depois do golpe de Estado. Ela limita a nossa capacidade crítica perante uma profunda crise sistémica, cada vez mais alarmante, relegando os interesses da Nação para segundo plano. 

Segundo o relatório anual do “Economist Intelligence Unit” há apenas 25 países que funcionam em plena democracia. Portugal não é um deles.


O Índice de Democracia publicado pelo EIU sustenta e reforça o comentário de Jack Lang, político francês, republicano, de que as monarquias constitucionais são os páises mais democráticos da Europa. O nosso regime está caduco, está na altura de olharmos para outras alternativas. A bem da liberdade e da democracia.
 
http://monarquia-portugal.blogs.sapo.pt/40-anos-depois-3357

1 comentário:

  1. ● II - Os países mais desenvolvidos e democráticos são Monarquias Constitucionais Parlamentares, tal qual o Império do Brasil foi quando éramos a 3ª economia da terra, cuja sua Armada Imperial (Marinha de Guerra) somada a Marinha Mercante representava a 2ª potência naval do planeta, até o Golpe de Estado de 1889, quando foi inaugurada a primeira e mais sangrenta Ditadura Militar da História do Brasil, interrompendo o seu destino de grandeza, cujas suas predadoras consequências se estenderam pelo futuro, numa sucessão de ditaduras civis e militares... Estas Monarquias estão sempre encabeçando as listas dos Índices de países mais democráticos e desenvolvidos, apesar da grande quantidade de Repúblicas (39 Monarquias Parlamentaristas + 5 outras Monarquias, contra 162 Repúblicas). Das 10 nações mais democráticas, desenvolvidas e de maior IDH do Mundo, 7 são Monarquias; incluindo as duas maiores democracias: Noruega e Dinamarca. Esta é a desproporção. Onde se conclui que na média as Monarquias Parlamentaristas são muito mais eficientes que as Repúblicas. Portanto não é um regime ultrapassado como muitos julgam. Lembro que o Reino Unido (Canadá, Austrália, Nova Zelândia...), Suécia, Holanda, Espanha, Japão... Também são Monarquias Parlamentaristas.


    01 ■ 50 razões para se resgatar nosso destino de grandeza interrompido por uma traição
    ►http://emanuelnunessilva.blogspot.com.br/…/26-razoes-para-r…

    02 ■ 50 Motivos para não se apoiar a Forma Republicana de Governo no Brasil
    ►http://emanuelnunessilva.blogspot.com.br/…/a-tragedia-do-go…

    ResponderEliminar