A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

quarta-feira, 27 de maio de 2015

S.A.R. O SENHOR DOM DUARTE VISITOU O TORRÃO, EM ALCÁCER DO SAL

 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 

 
 
Último dia da Feira Renascentista marcado pela visita do Herdeiro da Coroa Portuguesa
 
O último dia da V edição da Feira Renascentista do Torrão - Torrão ao tempo de Bernardim Ribeiro ficou indelevelmente marcado pela visita do Herdeiro da Coroa Portuguesa, S.A.R. D. Duarte de Bragança.
 
Para além da visita Real, o dia dia ficou ainda marcado pelo tradicional espectáculo de encerramento.
 
Recorde-se que o certame decorreu durante três dias, entre 22 e 24 de Maio e contou com a participação de centenas de visitantes e imensos torranenses que vivem fora da freguesia.
 

Desfile histórico que se realiza nos dias de abertura e encerramento

D. Duarte de Bragança esteve presente no Torrão, onde foi muito bem recebido, a convite da Câmara Municipal de Alcácer do Sal e da Junta de Freguesia do Torrão


 
D. Duarte de Bragança, sempre acompanhado pelo Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença; pelo Presidente da Assembleia Municipal, António Balona; pelo Presidente da Junta de Freguesia do Torrão, Virgílio Silva; pelos vereadores, restante staff e populares, visitou todo o recinto da feira.
 
Na visita ficou expressa a sua simplicidade e permanente disponibilidade, acessibilidade e afabilidade. De sublinhar ainda a simpatia e carinho com que os torranenses receberam o Duque de Bragança.
 

1 comentário:

  1. Acontecimentos tão importantes, que a comunicação social ignora e tanto deveria divulgar!

    É uma vergonha que a república passe ao lado de eventos como este, pois talvez aprendesse um pouco mais, de como se deve estar entre os cidadãos.

    Um Rei, está sempre com o seu povo e no meio dele, pois é o garante e o elo da sua estabilidade e quem governa o país, coisa que um PR jamais sabe fazer, porque não foi educado para exercer tal função.

    Edite Cecília Rodrigues

    ResponderEliminar