A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

quinta-feira, 26 de abril de 2012

NÃO SOU CONTRA A DEMOCRACIA NEM A LIBERDADE, MAS...

Mas sou contra o actual regime, por o que este tem sido ao longo destes 38 anos!

Podem nos dizer, que vivemos em Democracia e em Liberdade. Podem nos dizer que somos livres de pensar e de escrever o que nos vai na alma, de nos manifestar-nos, etc.

Mas se começarmos a olhar para outro prisma, vemos que o regime que nasceu com a Revolução do 25 de Abril de 1974, começou logo torto, digamos, com as ocupações e nacionalizações. De seguida, foi aprovada uma Constituição que durante 6 anos teve um órgão de soberania chamado – Conselho da Revolução – instituiu um regime pró-socialista, portanto com uma forte componente ideológica, coisa que a meu ver nunca uma Constituição Democrática pode ter, e por outro lado, consagra enquanto limite material de revisão constitucional a forma republicana de governo, vedando aos Portugueses, que ansiavam pela Democracia e pela Liberdade, de poderem escolher livremente em que regime pretendiam viver. Portanto, nem a Constituição foi referendada, nem o regime saído dela foi a votos, e não podemos escolher a Monarquia Parlamentar e Democrática, sujeitando-nos a todas as crises republicanas e a uma colecção de republicas como acontece em Países como a França e noutras paragens…

A partir da década de 80 e com a entrada de Portugal na então CEE começaram a vir os subsídios da Europa, e, claro, cá, depois de termos já passado por uma intervenção do FMI (o que de si já dá para perceber o “benefício” das nacionalizações e ocupações”), o, então, Primeiro-ministro Cavaco Silva inicia um processo de subsidiar para não produzir, de destruir a frota pesqueira, cortar com os investimentos na agricultura, na indústria, etc…. , querendo fazer de Portugal um País de Serviços acima de tudo!

Ora um País sem estratégia económica, nos 3 sectores de actividade, um país que deixa de ser competitivo, criando uma subsidio-dependência, acaba por sofrer, no nosso caso, desnecessariamente, com a influência estrangeira. E à medida que os anos foram passando, fomos sendo engolidos pelos interesses da União Europeia e hoje estamos sujeitos a pagar pelos erros cometidos no tempo “das vacas gordas”, como foi chamado esse período.

Temos um Estado fraco, quando devia ser pequeno mas forte, controlador.

Temos uma Justiça fraca, quando devia ser célere e imparcial, e acima de tudo justa!

Temos uma Política errada de imigração, com regalias a mais, sobretudo quando alguns vêem cá para fazer tudo menos para trabalhar e ainda por cima continuam a ser protegidos pelo nosso Estado em vez de serem postos fora do Território Nacional.

Não temos uma verdadeira estratégia a nível Lusófono, e no entanto querem destruir a Língua Portuguesa com o tal Acordo Ortográfico.

Portugal, ou melhor, a República Portuguesa é um País sem rumo, sem estratégia, dependente dos mercados, num regime corruptocrático e dependente dos mercados. Não podíamos estar pior!

Como disse, não sou contra a Democracia e a Liberdade!

Mas enquanto Cidadão, exijo uma Democracia com um verdadeiro Estado de Direito que se dê ao Respeito, um Estado com uma Justiça digna desse nome.

A III república tal como as outras duas, é um enorme e grave equívoco. Portugal é muito mais do que aquilo em que se tornou.

Está provado que nenhum sistema republicano funciona em Portugal, quanto muito deverá funcionar para quem vive à conta dele.

A I República que durou 16 anos com 45 Governos foi um desastre!

A II República que durou 48 foi uma Ditadura, ponto!

A actual III República é o que vemos todos os dias nos jornais, na televisão e outros meios de comunicação. Será preciso dizer mais alguma coisa?

Pelo que, festejar a Liberdade e a Democracia, sim, mas há datas bem mais longínquas mas foi onde tudo começou:

- 24 de Julho de 1833, data em que os Liberais entraram em Lisboa e aclamaram a Rainha Dona Maria II.

- 24 de Agosto de 1820, ainda mais longínqua, data em que estalou a Revolução Liberal em Portugal, dando início à primeira experiência de um regime Liberal Moderno e Plural em Portugal.

O 25 de Abril de 1974 é sinónimo acima de tudo de que o 5 de Outubro de 1910 foi um fracasso total!

A Origem da Liberdade, da Democracia, da Constituição, está unicamente centrada na Monarquia Liberal Portuguesa. E por isso, o 24 de Agosto de 1820 poderia ser perfeitamente o dia, o verdadeiro dia, da Liberdade, porque não foi só a Revolução Liberal, mas foi também um pronunciamento nacional Português contra a Administração Inglesa em Portugal, que já durava há demasiado tempo, dado que em 1815 foi quando Napoleão perdeu a batalha de Waterloo…

E é nessa origem histórica, que devemos construir a Nova Monarquia Democrática Portuguesa. É nessa base que devemos construir o futuro da Nação. É nessa base que  está a nossa esperança e na qual nos aguarda um Projecto de Democracia Real, um Projecto de um Reino de Portugal novo e próspero!

Viva a Democracia Real!
Viva o Rei!
Viva Portugal!

David Garcia em Real Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário