A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO

A CAUSA REAL NO DISTRITO DE AVEIRO
Autor: Nuno A. G. Bandeira

Tradutor

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

COMUNICADO DE IMPRENSA DA CAUSA REAL

TERÇA-FEIRA, 31 DE JANEIRO, ÀS 20.15H, NO CCB 
D. MARIA ADELAIDE DE BRAGANÇA FESTEJA 100 ANOS 
E RECEBE CONDECORAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA 

Um jantar no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na próxima terça-feira, às 20.15h, vai homenagear D. Maria Adelaide de Bragança, última neta viva do rei D. Miguel, que completa amanhã, 31 de Janeiro, 100 anos. Na ocasião, será entregue a condecoração de Grande Oficial da Ordem do Mérito, atribuída pela presidência da República. Impedido de estar presente por motivos de agenda, o presidente da República será representado pelo Chanceler das Ordens, embaixador António Pinto da França. O jantar, para os quais são esperadas cerca de 200 pessoas, organizado pela família e amigos, contará com a presença do chefe da Casa Real Portuguesa, D. Duarte de Bragança, sobrinho de D. Adelaide. 

Nascida em St. Jean de Luz, onde a família estava então exilada, D.Adelaide de Bragança teve uma vida marcada pelos grandes acontecimentos que atravessaram o século XX, sobretudo durante o período da 2ª Guerra Mundial. Filha mais nova do Duque de Bragança D. Miguel (II) e de Maria Teresa, Princesa de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg, cresceu em Seebenstein, na Áustria, tendo estudado Enfermagem e Assistência Social, em Viena.

Com a ocupação nazi, foi presa pela Gestapo, acusada de ouvir transmissões da BBC, foi interrogada e esteve na solitária, experiência que determinou a adesão e empenhamento na resistência organizada. Como enfermeira, prestou auxílio às vítimas dos bombardeamentos e já perto do fim da guerra, presa uma segunda vez pelos nazis, foi na iminência da execução que o Exército Soviético a libertou. Nessa ocasião, com intervenção diplomática nacional, foi-lhe concedido, e a seus irmãos, entre os quais D. Duarte Nuno, pai do actual Duque de Bragança, passaporte português.

Casada com o médico holandês Nicolaas van Uden, que conheceu ainda estudante em Viena, veio para Portugal em 1949, tendo se instalado numa quinta em Murfacém, perto da Trafaria, dedicando-se a uma intensa actividade de cariz caritativo, sobretudo através da Fundação D. Nuno Álvares Pereira, situada em Porto Brandão, instituição de apoio a mães pobres em final de gravidez e a crianças abandonadas. Esta actividade nem sempre foi bem compreendida durante o período do Estado Novo, valendo-lhe inclusive acusações de simpatia pelo comunismo. A sua vida está contada no livro “A Infanta Rebelde”, da autoria de Raquel Ochoa, publicado em 2011 pela Oficina do Livro.

A Causa Real foi criada em 18 de Novembro de 1993 e é hoje uma associação internacional agregando as Reais Associações existentes em todos os distritos do Continente Português, nas duas Regiões Autónomas e noutros locais do Mundo. Instituída sob a égide de S.A.R. o Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança, a Causa Real pretende reunir todos os simpatizantes da instituição Real das várias sensibilidades e quadrantes político-partidários. Apostada na criação de um Portugal moderno, consciente da sua história e apostado no Futuro, a Causa Real está aberta ao contacto de todos os que sintam os valores da Portugalidade e a relevância do Futuro de Portugal no Mundo.

Para mais informações agradecemos o V. contacto para: 
João Távora – 917 230 212

Lisboa, 30 de Janeiro de 2012
Pela Comissão Organizadora

Causa Real
Praça Luís de Camões, 46 – 2º Dto.
 1200-243 Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário